Produto adicionado com sucesso!
Menu
blog-image

Mulheres empreendedoras conhecem benefícios das centrais de negócio

Três exemplos de sucesso de centrais de negócios formadas na Bahia foram apresentados na manhã da última terça-feira, 23 de julho, durante o talk show “Juntas somos mais fortes”. O evento foi realizado a partir de uma parceria entre a Câmara da Mulher Empresária (CME), da Fecomércio-Ba, e o Sebrae Bahia.

O objetivo do talk show foi mostrar às mulheres empreendedoras que formaram a plateia do evento os benefícios da formação de centrais de negócio que, entre outras vantagens, traz mais competitividade paras as empresas participantes.

O primeiro case apresentado foi o da Rede Mix Bahia, que reúne empreendimentos do setor de varejo de alimentos. A gerente de recursos humanos da rede, Jionete Silveira, mostrou como o grupo cresceu desde o início das atividades, em 2007.

“Hoje, são 34 lojas em diversos municípios baianos, um mix de 20 mil itens, 1.310 colaboradores diretos, além das vantagens com redução de custos e melhores condições de pagamento junto a fornecedores”, destacou.

Proprietária do Laboratório Estrela, a empresária Núbia Estrela representou a Rede LabForte, que começou a ser formada no ano de 1997. Hoje, é o maior conglomerado de laboratórios clínicos do Norte e Nordeste, presente em 162 municípios da Bahia e 12 do Rio Grande do Norte.  Núbia destacou ainda a obtenção da certificação ISO 9000 pela rede, passo que muitos dos associados estão seguindo.

O representante da Rede Erguer, Ronaldo da Silva, contou também um pouco da história do grupo, que reúne 45 lojas e está presente em 38 cidades. Ronaldo pontuou que a maior dificuldade não reside no fato de as micro e pequenas empresas enfrentarem a concorrência dos grandes. “A maior dificuldade é estar sozinho. Temos que nos unir para sermos mais fortes”, concluiu.

O associativismo é o que defende também a coordenadora da CME, Rosemma Maluf. Ela destacou a série de eventos realizada pela Câmara, que tem o papel de dar visibilidade às mulheres empreendedoras. Mas, sobretudo, falou da oportunidade de trocar experiências, fazer networking e serem incentivadas a atuarem em conjunto.

“Precisamos ter a cultura do associativismo, pois, assim, nos tornamos mais competitivas e podemos lutar por melhorias em nosso ambiente de negócios”, afirmou.

A gerente adjunta do Sebrae em Salvador, Mariana Cruz, reforçou a parceria com a CME na realização das ações do programa Sebrae Delas Mulher de Negócios, que está buscando aprofundar o debate em determinados temas. “A ideia é trazer mais conteúdo para que vocês possam se estimular a formar novas redes ou se inserir em redes já existentes”, finalizou. 

Agência Sebrae de Notícias Bahia

Comentários

Deixe um comentário

Informação: não é permitido conteúdo HTML!
* Campos obrigatórios

Carregando...